Plataforma integra países na busca por conhecimento agrícola para a inovação

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A gestão do conhecimento como ferramenta para inovação agrícola é objeto de debate entre especialistas de 15 países da América Latina, Caribe e Europa. O encontro começou ontem (29/11/11) e segue até dia 1 de dezembro, em Brasília (DF). “Nossa expectativa é que não seja somente um produto de um seminário, mas a possibilidade de se criar algo que continue, por meio da formação de uma plataforma que seja possível compartilhar e unir esforços em desenvolvimento de capacidades em gestão do conhecimento, pois em todas as empresas envolvidas o conhecimento é produto básico”, afirmou Viviana Palmieri, especialista em Gestão da Inovação Tecnológica do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Simone Stiager, do Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT) da Colômbia, instituição integrante do Grupo Consultivo para a Pesquisa Agrícola Internacional (CGIAR, sigla em inglês), destacou que a iniciativa de unir todas as instituições da região em prol do fortalecimento de capacidades é nova e desafiadora, principalmente para a temática da inovação. “Ao terceiro dia de debates estaremos prontos para saber qual o primeiro passo, onde buscar fundos e alcançar parceiros”, apontou.

Ao final do primeiro dia de debates, será montada uma lista com as necessidades prioritárias em matéria de formação, de fortalecimento de capacidades e de mudança organizacional com respeito à abertura e à troca de conhecimento para a inovação agrícola em pesquisas para o desenvolvimento.

O Workshop Internacional de Gestão do Conhecimento é uma realização conjunta entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o IICA, o CIAT, e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

PLATAFORMA

O principal objetivo da plataforma será fortalecer os processos de inovação na agricultura, ou seja, a apropriação de conhecimento que melhorem os produtos, processos e gestão da produção agrícola, com vistas a enfrentar os desafios como adaptação às mudanças climáticas, segurança alimentar e desenvolvimento rural.

“Temos ferramentas estratégicas suficientes a nossa disposição, para melhorar a prática da gestão do conhecimento dos atores regionais e criar um contexto compartilhado que permita a aprendizagem”, comentou Palmiere.

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura