Arquivo de julho de 2012

  • UFRJ transforma o bagaço de cana em fibra de carbono

    terça-feira, 31 de julho de 2012

    Peças de carro, materiais da indústria de petróleo e até armações de óculos podem estar prestes a se juntar a etanol, cachaça e açúcar como produtos derivados da cana.
    Cientistas brasileiros desenvolveram um jeito de transformar os resíduos da planta em fibra de carbono, material um bocado valorizado pela indústria.
    Hoje, o bagaço [...]

  • IPT terá planta piloto para gaseificação de biomassa

    segunda-feira, 30 de julho de 2012

    Agência FAPESP – Prover os dados necessários para estabelecer um projeto conceitual de uma planta industrial de gaseificação com capacidade de processar 400 mil toneladas anuais de bagaço e palha de cana-de-açúcar é o objetivo do projeto da planta piloto do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em Piracicaba.
    “Isso equivale à metade [...]

  • CNPq lança nova Plataforma Lattes

    segunda-feira, 30 de julho de 2012

    Os 2,7 milhões de usuários da Plataforma Lattes tiveram novidades a partir desta segunda-feira (22). O CNPq inaugurou a nova interface do sistema que é uma base de dados de curriculos, instituições e grupos de pesquisa. O lançamento foi feito pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, [...]

  • Óleo de soja aumenta vida útil dos pneus

    quarta-feira, 25 de julho de 2012

    A fabricante de pneus norte-americana Goodyear anunciou nesta terça-feira que pesquisadores do centro de inovação da empresa descobriram que o uso de óleo de soja na fabricação de um pneu pode aumentar em 10% a vida útil do produto, além de reduzir o volume de óleo derivado de petróleo usado na produção para até sete [...]

  • Toxinas em leite para bebês

    terça-feira, 24 de julho de 2012

    A companhia chinesa Dairy Ava foi obrigada a suspender suas atividades, após a descoberta de que haviam toxinas cancerígenas no leite para bebês. Os produtos tinham altos níveis de aflatoxina, uma toxina cancerígena causada por fungos. O leite contaminado era vendido principalmente nas províncias de Guangdong e Hunanh.
    Fonte: Correio do Povo