Etanol evita emissão de 177 milhões de toneladas de CO2 desde 2003

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O uso do etanol no Brasil desde o lançamento dos carros flex, em 2003, já evitou a emissão de 177,2 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2), um dos principais gases causadores do efeito estufa. ”A redução observada na emissão, em termos comparativos, equivale a 2,6 vezes a emissão gerada por ano pela Áustria,” compara o consultor de Emissões e Tecnologia da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Alfred Szwarc.

Os números são calculados pelo “Carbonômetro” criado pela Unica em 2008 para calcular as emissões de gases evitadas pelo uso de etanol, uma das principais vantagens ambientais do biocombustível em relação à gasolina.

Para igualar as emissões evitadas pelo uso do etanol nos carros flex e pela mistura de etanol na gasolina entre março de 2003 e setembro de 2012, seria preciso plantar e manter ao longo de 20 anos mais de 1,2 bilhão de árvores nativas. A metodologia de cálculo da equivalência em árvores foi desenvolvida pela organização não-governamental SOS Mata Atlântica. Mais detalhes sobre o cálculo do carbonômetro podem ser acessadas no site Etanol Verde, mantido pela Unica.

Os veículos flex já representam mais de 50% da frota de automóveis leves no Brasil. Segundo estudos internacionalmente reconhecidos, inclusive pelo governo dos Estados Unidos, o etanol de cana brasileiro pode representar uma redução de até 90% nas emissões de gases do efeito estufa, em relação à gasolina.

SouAgro