Senador Álvaro Dias cobra Ministério da Agricultura sobre liberação de feijão transgênico desenvolvido pela Embrapa

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Em carta enviada à ministra da Agricultura, Kátia Abreu, no último dia 24, o senador requer informações sobre os “reais motivos que impediram, até o momento, que uma tecnologia genuinamente brasileira fosse disponibilizada para milhares de agricultores de todo o Brasil, muitos do Paraná, maior produtor do País”

Em parecer emitido em 15 de setembro de 2011 a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, CTNBio, aprovou o feijão geneticamente modificado que foi desenvolvido pela Embrapa, uma cultivar resistente à infecção pelo vírus do mosaico, que ataca grande parte das plantas no Brasil. No entanto, a própria Embrapa tem postergado a liberação, pois alega que o feijão denominado Embrapa 5.1 não é resistente a outra praga, menos agressiva que o mosaico, o Carlavirus, o que foi observado posteriormente.

Álvaro Dias menciona no ofício encaminhado à ministra do MAPA, que “a introdução do feijoeiro geneticamente modificado, cultura largamente praticada por pequenos agricultores, desde o seu trâmite na CTNBio, sofre fortes ataques de grupos com orientação ideológica contrária ao uso de transgênicos. Especialmente pelo fato de se tratar de uma biotecnologia nacional destinada a pequenos agricultores, o que fragiliza o argumento de ser a biotecnologia moderna um produto de multinacionais direcionado aos grandes agricultores”.

Fonte: ornal da ciência