Plataforma reúne dados sobre programas de iniciação científica e tecnológica

terça-feira, 24 de novembro de 2015

As principais informações sobre os programas de iniciação científica e tecnológica do País foram organizadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) em uma única plataforma. O painel reúne dados sobre número de bolsas, total de investimentos no setor, quantidade de projetos de pesquisa, a evolução histórica dos programas, entre outras informações.

De acordo com o CNPq, a nova plataforma abrange os programas Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic); de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti); de Iniciação Científica Júnior (ICJ); de Iniciação Científica e Mestrado em Matemática da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) e da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM).

A iniciação científica é um modelo de pesquisa acadêmica desenvolvida por alunos de graduação nas universidades brasileiras, em diversas áreas do conhecimento. Em geral, os estudantes que se dedicam a esta atividade possuem pouca ou nenhuma experiência em trabalhos de pesquisa científica, sendo acompanhados por orientadores durante a função.

“Esse painel é extremamente rico e possibilita uma visão de cada um dos coordenadores do que está acontecendo no seu programa e o que está acontecendo no Brasil”, informou o presidente do CNPq, Hernan Chaimovich. “O CNPq sozinho não pode avançar. São os coordenadores de cada programa de iniciação científica que têm a responsabilidade de ajudar a medir o impacto de um dos programas mais importantes de formação intelectual desse País.”

Criado em 1988, os programas de iniciação científica concederam logo no primeiro ano 14.175 bolsas a 120 instituições. Em 2015, foram 24.210 bolsas a 352 instituições.

Para acessar o painel clique aqui.

(Agência Gestão CT&I, com informações do MCTI e CNPq)