Japão reconhece carne suína de Santa Catarina como livre de febre aftosa

terça-feira, 28 de agosto de 2012

O Japão reconheceu nesta segunda-feira (27) a carne suína de Santa Catarina como livre de febre aftosa. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), isso abre a perspectiva para que o Japão passe a importar carne suína brasileira. A expectativa da associação é que em 2013 o Brasil passe a fornecer cerca de 15% das importações de carne suína do Japão, o maior importador mundial deste tipo de carne.

“É uma ótima notícia. Estávamos na expectativa há muito tempo e vem em um momento muito positivo. A suinocultura estava precisando de um mercado novo, grande, consistente e forte e o Japão é o maior importador de carne suína do mundo”, disse Pedro de Camargo Neto, presidente da Abipecs, em entrevista nesta segunda (27) à Agência Brasil.

Por meio de nota, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro, disse que o próximo passo será negociar os termos para exportar o produto. Segundo o presidente da Abipecs, será preciso negociar o Certificado Sanitário Internacional (CSI), a ser emitido pelas autoridades brasileiras, para garantir que os requisitos de sanidade animal da carne suína atendem a todas as exigências apresentadas pelas autoridades japonesas.

Nesta quarta-feira (29), os secretários do Ministério da Agricultura de Defesa Agropecuária, Enio Marques, e das Relações Internacionais, Célio Porto, estarão em Tóquio, para apresentar a primeira proposta de CSI às autoridades japonesas. “Agora, o que falta é muito pouco”, disse Camargo Neto.

O Ministério da Agricultura informou que, quando esta negociação estiver concluída, as autoridades japonesas deverão aprovar uma lista de estabelecimentos de abate que atendam as exigências de saúde pública em relação à higiene e controles laboratoriais. Segundo a Abipecs, Santa Catarina é o único estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação. O certificado foi concedido em 2007 pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE).

Hong Kong foi o maior importador de carne suína brasileira no acumulado deste ano, seguido por Ucrânia, Rússia, Angola, Singapura e Uruguai, segundo a Abipecs. Nos primeiros sete meses do ano, as vendas brasileiras de carne suína somaram 313 mil toneladas, crescimento de 3,32% em comparação ao mesmo período do ano passado. Em receita, as vendas externas de carne suína somaram US$ 795 milhões.

O Japão, de acordo com o Ministério da Agricultura, é o maior importador de carne suína do mundo, movimentando US$ 5,2 bilhões no ano passado. “Pretendemos conquistar pelo menos 10% deste mercado”, disse o ministro. Segundo ele, as exportações do produto podem ter início já nos primeiros meses de 2013. O Brasil, que é o quarto maior exportador de carne suína do mundo, totalizou US$ 1,3 bilhão em vendas do produto no ano passado.

Fonte: Elaine Patricia Cruz/ Agência Brasil