Agricultura precisa ter papel maior nos debates sobre o clima

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A importância da agricultura para alcançar a segurança alimentar, reduzir a pobreza e gerar bem estar rural deve ser reconhecida pelas nações para assumir compromissos ligados às mudanças climáticas, defende uma nota técnica enviada pelo diretor geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Víctor M. Villalobos, aos ministros de agricultura dos países do hemisfério.

A oportunidade para que esses compromissos se concretizem, considerando a agricultura no contexto de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, será a próxima Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP18), prevista para começar na segunda-feira (26) em Doha, Catar.

A intenção do IICA com a nota técnica é subsidiar seus 34 países membros com insumos nas negociações para reduzir a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera. “A agricultura, apesar de sua importância para o desenvolvimento humano — graças ao seu apoio à produção de alimentos, à geração de acessos e bem estar social — tem sido abordada de forma limitada nas negociações globais sobre mudanças climáticas”, destaca o instituto.

No texto, o IICA classifica a COP18 fundamental para iniciar ações de adaptação às mudanças climáticas: “A importância da adaptação dos sistemas agropecuários para garantir a produção agrícola e, portanto, a segurança alimentar, já tem sido abordada, mas ainda não tem a força suficiente para constituir-se em uma posição comum que leve a acordos concretos ou que vislumbre propostas de ação em curto ou médio prazos”.

Na nota destinada aos ministros, o diretor geral do IICA destacou a relevância de participar da COP e dar sequência aos seus acordos: “A representação do setor agrícola, assim como em outros setores críticos, permite que na formulação e aplicação de programas nacionais ou regionais se contemplem as medidas voltadas à mitigação das emissões de gases de efeito estufa, bem como facilitar a adaptação às mudanças do clima”.

SouAgro